15 maio 2008

Nutrição e Colesterol (Hipercolesterolemia)

Postado por Isnádia Costa em: Nutrição e Colesterol .

O colesterol no nosso organismo provém de duas fontes: da sua própria síntese endógena (ou seja, fabricado pelo fígado) e dos alimentos que ingerimos. Nosso organismo necessita de pequena quantidade de colesterol para funcionar adequadamente, pois participa da produção de hormônios, da fabricação de vitamina “D”, do transporte de gorduras do intestino para o fígado, o músculo e o tecido adiposo.

O colesterol é transportado no sangue sob duas formas:

- HDL (colesterol bom) – tem a função de conduzir o colesterol ruim para fora das artérias, impedindo o seu depósito no vaso sangüíneo. Existe na proporção de 1/3 do colesterol total.

- LDL (colesterol ruim) – responsável pelo transporte e depósito de colesterol na parede das artérias, originando o processo de ATEROSCLEROSE (Acúmulo de gordura na parede dos vasos sangüíneos). O acúmulo deste colesterol bloqueia o fluxo sangüíneo e estreita as artérias, podendo ser precursor das “Doenças coronarianas” e do “Infarto”.

Hipercolesterolemia – é o aumento da taxa de colesterol no sangue. Para a redução do colesterol e beneficiar o aumento do HDL-colesterol (bom) se faz necessário reduzir ou eliminar os alimentos ricos em colesterol, ricos em gorduras saturadas e trans da alimentação, além de elevar o consumo das gorduras boas (monoinsaturada e poliinsaturada) e de praticar exercícios físicos.

O colesterol elevado aumenta a incidência das “Doenças cardiovasculares” (DCV), que provocam 17 milhões de mortes a cada ano em todo o mundo, segundo o Organização Mundial de Saúde (OMS), que estima cerca de 25 milhões de novos casos, em 2020. Seis vezes mais que o número de mortes por HIV/Aids. Segundo a OMS, as doenças cardiovasculares representam 80% das mortes em países de baixa e média economia. As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no Brasil.

De acordo com Sociedade Brasileira de Cardiologia, estima-se que das 300 mil pessoas que sofram de problemas cardíacos, 77 mil morrem anualmente de “infarto agudo do miocárdio”.

O Acidente Vascular Cerebral (AVC), segundo o Ministério da Saúde, é uma das doenças vasculares de maior prevalência e uma das principais causas de mortalidade no Brasil. Segundo estudo publicado na revista Stroke, a mortalidade do AVC pode chegar a 80% em dez anos, principalmente por AVC recorrentes e causas cardiovasculares.

Dados mais recentes do Datasus, do Ministério da Saúde, indicam que o derrame (AVC) é a principal causa de morte entre os brasileiros, seguido pelo infarto agudo do miocárdio e pela hipertensão.

Dos que sobrevivem à ocorrência de derrames, 50% ficam com algum grau de comprometimento. A cada ano, surgem 250 mil novos casos da doença no país. Destes, 30% morrem e outros 30% apresentam seqüelas.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o AVC foi responsável por 90.930 óbitos em 2004, e o infarto agudo do miocárdio registrou 65.482 óbitos.

Portanto, a alimentação saudável tem um papel fundamental na prevenção dos fatores de risco, na redução e manutenção dos níveis de colesterol no sangue.

Nesse contexto, se faz necessário o controle de peso para se atingir os níveis adequados para a altura e a idade, através de uma “Dieta Balanceada” e da “Reeducação Alimentar”, orientadas por um Nutricionista, garantindo, assim, uma maior longevidade, com qualidade de vida.

Comentários não disponíveis nesse post.

Leia meus Artigos!

Marque uma Consulta!

Dra. Isnádia Costa - CRN:1700

End: Rua Carolina Sucupira,135
Tel: 3244-5454

Fortaleza - Ceará